A alimentação e os bons resultados nos estudos

17-02-2015
A alimentação e os bons resultados nos estudos

Uma boa alimentação é a chave para o sucesso em vários momentos da nossa vida. E os estudos são um ótimo exemplo. Isso porque seguir uma alimentação saudável pode nos ajudar a manter o foco e, consequentemente, conseguir melhores resultados. Incluir na dieta alimentos que ajudem a memória e estimulem o cérebro nos dá mais poder de concentração e nos torna mais produtivos. Conheça alguns exemplos:

 

Arroz integral: representa os alimentos com boa dose de carboidratos, que, quando ingeridos, são transformados em açúcar. Dessa forma, transmitem energia ao corpo, garantindo disposição e concentração. Fique atento e escolha opções ricas em fibra aos refinados. Outros exemplos são pães integrais, bolachas, massas, quinoa e aveia.

 
Gema do ovo: rica em aminoácidos, ajuda os neurônios a transmitirem informações entre as células.

 

Chia: é um exemplo de cereal integral rico em complexo B, assim como a linhaça, ajudando no funcionamento do sistema nervoso e na comunicação entre os neurônios.

 
Chá verde e café: ricos em cafeína, estimulam o sistema nervoso central, diminuem o sono e aumentam a disposição. No entanto, devem ser consumidos com moderação, já que o excesso pode causar danos à memória.

 

 

Soja: tem dois benefícios principais. Os fosfolipídios (especialmente a lecitina) atuam no organismo como um detergente, limpando os locais por onde passam e recuperando o sistema nervoso e a memória. Tem ainda a acetilcolina, um neurotransmissor importante para a memorização.
Frutas: morango, pêssego, uva, kiwi e maçã estão no time das ricas em fisetina, substância responsável por manter a memória jovem no cérebro, estimulando e fortalecendo as conexões entre os neurônios.
Ostras: são ricas em zinco, que protege os neurônios contra radicais livres e preserva suas membranas, ajudando na comunicação entre eles.

 

 
Abacate: é fonte de selênio, que funciona como auxiliar de outras substâncias, como serotonina, dopamina e acetilcolina, protagonistas da boa operação do cérebro. Pessoas com baixo nível de selênio no organismo são propensas a alterações de humor, por conta de distúrbios na atividade dos neurotransmissores.

Lentilha: fonte de ferro, ajuda a transportar oxigênio para os tecidos, inclusive rumo ao cérebro. A falta de ferro causa cansaço e perda de memória e, consequentemente, as pessoas ficam mais desatentas e apáticas. Outras opções de alimentos ricos em ferro são lentilha, agrião, couve, cheiro-verde, leguminosas, feijões, fava, grão-de-bico, ervilha, grãos integrais, fígado, rim, coração e mariscos.

 

Leite: fonte de fósforo, substância importante na constituição da membrana celular. Deve estar presente na dieta para evitar a sobrecarga do corpo em períodos de excesso de atividades cerebrais.

 

Beterraba: rica em nitrato, aumenta a irrigação de sangue no cérebro, importante no desenvolvimento de trabalhos intelectuais. Outros alimentos com alta concentração de nitrato são repolho, nabo, espinafre e aipo.

Compartilhe

Faça um comentário

Livros relacionados

Posts relacionados