Aprendizado ganha interesse com paródias musicais

18-10-2013

Professora de matemática de Minas Gerais faz adaptações de músicas para motivar seus estudantes. Conheça a história

 

Ao observar alunos que cantarolavam durante as aulas, a professora de matemática Maria Lúcia Faria Barbosa teve a ideia de convencê-los a cantar temas referentes à disciplina. Como tem facilidade para fazer versos, resolveu, em 2010, inserir temas matemáticos em paródias musicais e obteve boa receptividade entre os estudantes.

 

Com licenciatura plena em matemática e oito anos de magistério, Maria Lúcia leciona na Escola Estadual Prefeito José Maria Pereira, no município de Buritizeiro, no norte de Minas Gerais. Ela atende turmas do sexto ao nono ano do ensino fundamental e presta apoio ao ensino médio. Na época em que passou a adotar paródias musicais, trabalhava também na Escola Estadual do Bairro Cidade Jardim, no vizinho município de Pirapora.

 

Na primeira paródia, ela adaptou Asa Branca, de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, ao conteúdo da regra dos sinais. “Os alunos viviam cantando pelo pátio da escola e até em aulas de outros professores”, afirma. A professora também compôs uma música, Equação, que obteve sucesso ainda maior entre os estudantes. “Eles saiam cantando pelas ruas e em casa. Até os irmãos menores aprenderam a cantar”, revela.

 

Maria Lúcia criou ainda canções sobre temas como tabuada, porcentagem, raiz quadrada e geometria. Ela usa temas musicais também para descontrair os alunos quando as aulas se tornam cansativas. “A música é como uma injeção de ânimo, composta de alegria e prazer, que abre horizontes e desperta, levando o aluno a fazer as atividades com vontade”, avalia. Com melodias, ela aproveita para ensinar conteúdos mais complexos e de importância no dia a dia. “Eles aprenderam a gostar de matemática. E quando gostam de um conteúdo, se esforçam para aprender”, destaca.

 

De acordo com a professora, os estudantes ficaram mais prestativos e entusiasmados e fazem as atividades sem precisar de cobranças. “Descobriram a arte de aprender matemática com alegria e prazer. Assim, ficam felizes, e eu, mais ainda”, salienta.

 

Os alunos que mais davam trabalho foram os primeiros a decorar as músicas e até a inventar passos de dança para acompanhar as melodias. “Com isso, têm passado de piores para os melhores no aprendizado”, acrescenta Maria Lúcia. Alguns até inventam as próprias músicas e paródias. A professora já lançou dois livros de poesias, o que tem servido de motivação para os estudantes também criarem seus versos.

 

Entusiasmo — Para a diretora da escola, Sônia Queiroz Marques, a iniciativa de Maria Lúcia resultou em aumento no percentual de alunos que gostam de matemática e na melhora nas notas. “A aula da professora é prazerosa e envolvente”, destaca. “Por meio da música, ela tem entusiasmado os alunos, levando-os ao enriquecimento do aprendizado.”

 

Sônia tem licenciatura plena em geografia, com pós-graduação em metodologia do ensino de geografia. Há 25 anos no magistério, ela atua há cinco na direção da escola.

 

Fonte: Portal Brasil

Compartilhe

Faça um comentário

Livros relacionados

Posts relacionados