Oito brincadeiras de praia para fazer com as crianças

21-10-2014
Crianças brincando na praia

Com o fim do inverno, a tendência é que as temperaturas aumentem e as pessoas voltem a frequentar mais o litoral. Ir à praia com a família é sempre um momento de muita diversão. Para as crianças, é a hora de colocarem para fora toda a energia que possuem. A praia é um ambiente fantástico para que elas desenvolvam atividades que fazem bem para a mente e para o corpo devido ao seu espaço amplo e às suas várias possibilidades.

 

Confira oito brincadeiras de praia que vão fazer a molecada se divertir:

 

Golfe de praia

Uma garrafa PET, uma bolinha, podendo ser de pingue-pongue ou tênis, e alguns buracos na areia. Trace um percurso e dê três tentativas para cada participante de acertar a bolinha no buraco. Não faça os buracos muito distantes, porque uma garrafa vazia não impõe muita força contra uma bolinha.

 

Pega-pega radical

Cada participante constrói um círculo ao redor de si, distantes um do outro. Apenas um dos participantes não faz o círculo, pois será o pegador. Todos devem trocar de círculo e cuidar para não serem pegos.

 

Corrida de baldes

Cada criança enche um baldinho com água. Os baldes não podem ser muito grandes para não pesar demais quando encher. Desenhe uma linha de chegada, dê um balde cheio de água para cada criança, que não pode ser muito pesado. A ideia é correr o mais depressa possível com os baldes sobre a cabeça sem derrubar água. Vence quem alcançar primeiro a linha de chegada.

 

Futebol de areia

Essa todo mundo já jogou. Se houver poucos participantes, faça o chamado “bobinho”. Forme um círculo pequeno com uma criança no meio. As demais devem tocar a bola entre si, sem que aquela que estiver no meio a pegue. Só valem, no máximo, dois toques na bola. Se houver um grande número de crianças, dá para fazer o chamado “timinho”, com duas equipes e duas traves, e colocar a molecada para correr.

 

Futebol de sapo

Assim como o futebol tradicional, jogam dois times e tentam vencer os goleiros adversários, mas com as mãos no chão. Para se locomover, os participantes devem saltar como sapos, não podendo correr ou andar.

 

Caça ao tesouro

Faça vários montinhos de areia semelhantes entre si e esconda um objeto sob um deles sem que os outros vejam. Em seguida, cada criança escolhe um montinho de areia onde acha que está o tesouro. Quem acertar o local é eleita a próxima pessoa a enterrar o objeto de novo.

 

Pesca na areia

Compre aqueles peixinhos de plástico com argolas na ponta, que são colocados em piscininhas nas barracas de festa junina, pegue varinhas de pescar – ou faça algumas, com pedaços de bambu e barbante – e enterre os peixinhos na areia com as argolas para fora. Demarque a distância que deverão ficar dos peixes e cronometre o tempo para ver quem pega mais.

 

Taco

Para brincar, é necessário um taco, uma bolinha de tênis e uma base (pode ser uma latinha de refrigerante ou qualquer outra coisa que pare em pé). Os jogadores se dividem em dois times. Um time começa com os tacos (os rebatedores); o outro, com a bolinha (os lançadores). Os lançadores devem tentar derrubar a base oposta com a bolinha, e o rebatedor deve defender a base com o taco. Se o rebatedor acertar a bolinha, o lançador da base oposta (que jogou a bola acertada) deve correr para pegá-la. Enquanto o lançador não pega a bolinha, os rebatedores correm entre as bases e batem os tacos quando se cruzam. Cada batida vale um ponto. Quando o lançador pega a bolinha, ele pode jogá-la para o parceiro ou tentar acertar um dos rebatedores. Quando um rebatedor é acertado pela bolinha fora do círculo, ele é queimado. Quando a base é derrubada ou um jogador é queimado pela bolinha, invertem-se os times: lançadores passam a ser rebatedores. O número de pontos necessários para ganhar tem que ser combinado antes de começar o jogo.

Compartilhe

Faça um comentário

Livros relacionados

Posts relacionados